• ASSISTA AO VIVO

  • REGULAMENTO

  • TABELA E RESULTADOS

  • INFORMATIVOS E NOTAS OFICIAIS

  • Evento inédito de voleibol encerra com garantia de continuidade

    A primeira edição do Congresso Internacional de Voleibol fez história. Foram cinco dias de muito conteúdo, com aulas teóricas e práticas, além das mesas redondas que fecharam as rodadas do dia. O evento inédito encerrou neste domingo (28) em São José dos Pinhais (PR) e reuniu em cinco dias nomes de referência no cenário nacional e mundial, e ainda profissionais de diversos estados brasileiros que trabalham com a modalidade desde as categorias de base até o profissional, além da presença de treinadores bolivianos, peruanos e brasileiros que atuam nos Estados Unidos, França, Itália e Japão.

    O técnico multicampeão Bernardinho abriu o congresso com uma palestra na última quarta-feira (24). Nomes como Marcos Pacheco, Javier Weber, Maurício Paes, Henrique Modenesi, Hélio Griner, Fábio Correia, Rubinho e Luizomar de Moura, que dispensam apresentações, foram extremamente generosos em suas aulas teóricas e práticas, dividindo suas histórias e conhecimento com todos os congressistas. Para balizar tantas informações, a mesa redonda foi mediada pelo ex-técnico e jornalista, Cacá Bizzocchi.

    Em suma, voleibol foi o combustível, nesses últimos dias, para um público sedento por um espaço como esse que o Congresso ofereceu, envolvendo, além de conteúdo, muitas discussões e trocas de experiências, inclusive nos bastidores. O resultado deixou os idealizadores, Josmar Coelho e Gerson Amorim, seguros em confirmar desde já a segunda edição, atendendo à pedidos de todos os participantes, sem exceção.

    “Estamos nos sentindo como vencedores de uma grande final, após uma preparação especial para que pudéssemos entregar aos participantes um congresso que ficasse marcado na vida das pessoas. Montamos, no nosso entendimento, um time de primeira linha para conduzir as palestras com seus respectivos temas e, dessa forma, encerramos o congresso com a medalha de ouro no peito. O momento agora é de avaliar o que foi positivo, corrigir as falhas e pensar na segunda edição. Fica aqui o nosso agradecimento aos palestrantes e principalmente aos congressistas que acreditaram na nossa proposta e neste cinco dias de evento contribuíram para que esse sonho fosse realizado. A SEMEL de São José dos Pinhais, na pessoa do secretário Alessandro Hendler, o nosso mais sincero obrigado, pois sem essa parceria não seria possível tornar realidade esse congresso”, agradeceu Josmar.

    Gersinho resumiu a essência deste primeiro congresso, vislumbrando o que pode melhorar para a próxima edição. “Nesses cinco dias vivemos Olimpíadas, campeonato mundiais, campeonato Argentino e Japonês pelo olhar de grandes nomes do vôlei brasileiro, argentino e europeu. E vimos os congressistas ávidos por conhecimento e compartilhando suas vivências com palestrantes num ambiente aberto e sem restrições. Agora que terminou, meu sentimento é de missão cumprida como idealizador e organizador do 1° Congresso Internacional de Voleibol, que na sua essência nasce com objetivo de capacitar, integrar os técnicos do voleibol brasileiro e Sul-Americano e quem sabe outros continentes. Já estamos pensando na segunda edição o que vamos melhorar e para que o aprendizado e conhecimento seja ainda mais difundido com possibilidades de atingir outros continentes. Temos um voleibol forte e muito conhecimento para compartilharmos com o Mundo”, declarou.

    Para findar as aulas da primeira edição do Congresso, o técnico do Audax/Osasco, Luizomar de Moura, que durante anos treinou as seleções brasileiras de base, falou sobre a organização da semana de treinamentos e o sistema defensivo no voleibol feminino. Ele participou das aulas e palestras durante todos os dias e ressaltou que o evento é fundamental para o compartilhamento de informações e conhecimentos.

    “A postura de cada palestrante foi a de inspirar, que as pessoas que investiram, que vieram aqui, saiam mais motivadas, que, em algum momento, algum desses palestrantes tenha influenciado na formação, na mudança ou complemento de algum modelo de treinamento. Ter ficado todos os dias, sem demagogia, é uma coisa que eu sempre tive vontade, sempre achei que o Brasil é muito carente nesse aspecto. Quando eu vi o nível dos palestrantes, poder estar aqui, conversar e trocar ideias foi sensacional. Então, parabéns à organização, espero que este seja o primeiro de muitos. Estarei sempre à disposição, porque o conhecimento deve ser compartilhado. Isso deve ser uma constante. Que este seja o pontapé inicial para que isso aconteça, para que grandes profissionais possam vir falar do seu dia-a-dia”, comentou Luizomar.

      

    Assessoria Congresso
    41 99942-8277